29/06/2017

Diariamente, a população idosa enfrenta diversas formas de violência em todas as instâncias e espaços de convivência – em casa, nas ruas, nos serviços públicos e privados. E como os abusos ocorrem, na maioria das vezes, dentro de casa, as vítimas, frequentemente se calam.

Assim, em referência ao Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa e com o intuito de promover o engajamento da sociedade civil, bem como de órgãos e instituições envolvidas com a Proteção Social, a Secretaria de Desenvolvimento Social, por meio do CREAS – Centro de Referência Especializado em Assistência Social promoveu a palestra Rompendo o silêncio: sinais e sintomas da violência contra a pessoa idosa, proferida pelo ilustre palestrante Alexandro Souza Paiva, assessor em Gestão Pública da AMVAP. O evento ocorreu no Plenário da Câmara Municipal, na tarde do dia 28 de junho de 2017.

A palestra teve como objetivo apresentar as diversas formas de agressões e mostrar os meios de denúncia disponíveis, fortalecendo a luta pelos direitos da pessoa idosa em nosso município e o cumprimento do Estatuto do Idoso. 

Importante ressaltar que dados da vigilância socioassistencial revelam que só em 2017, o município registrou 130 casos de agressões contra idosos, a maioria caracterizados como negligência, violência psicológica e financeira por parte de familiares. Porém, a violência também se manifesta de outras maneiras, como quedas, más condições de mobilidade, locomoção e acessibilidade das ruas, calçadas e edificações da cidade. 

O palestrante sensibilizou os presentes em razão da necessidade eminente de enfrentamento da violência contra a pessoa idosa, evidenciando a atuação multiprofissional neste cenário, com vistas a promover a devida conscientização no que concerne as pessoas idosas e seus direitos constitucionais.

Para a Diretora da Proteção Especial, da Secretaria de Desenvolvimento Social, Márcia Maria Leal Tavares, o evento marca o início de uma grande mobilização em prol da conscientização quanto à violência contra os idosos. “Hoje demos um grande passo na luta contra este tipo de violência em nosso município. Com os dados alarmantes, o CREAS irá desenvolver um trabalho articulado, tanto para incentivar as denúncias, pelo Disque 100, quanto para fortalecer as famílias e inibir a violação de direitos”, afirma a diretora.

 

 

 

Fonte: ASCOM

Voltar